Bibliofilia: Amor por livros e por ler. O Bibliófilo ama ler e sente devoção pelos livros, colecciona-os e admira-os.

12/02/2013

O vício das sagas

Sagas... Amamo-las e odiamo-las.
Quando vi no vídeo piloto do Só Ler Não Basta a Telma a dizer algo do género "tenho sagas para a vida toda", a minha primeira reacção foi a vontade de rir pelo tom com que o disse, e por me identificar tanto com essa declaração. Depois fiquei séria. Tenho mesmo séries para a vida toda? Há relativamente pouco tempo comecei a marcar no Goodreads os livros com a estante "series", onde já tenho cerca de 200, sem nunca ter chegado a fazer triagem de todos os livros que poderia adicionar a essa saga. Resolvi ir ver quantas sagas tenho nas minhas estantes e descobrir se estou afogada em sagas.

Já sabia que deviam ser bastantes. Como qualquer fã de fantasia saberá mais que bem, este é um género literário muito dado a histórias de arco prolongado. Quer seja uma sequência de livros dependentes do anterior ou com arcos independentes a cada volume, arriscaria dizer que para estes autores, as suas histórias combinam com o formato de saga como pão quente combina com manteiga.

Tal como muitos bibliófilos, no meio de tantas sagas de fantasia, já por várias vezes dei por mim a desejar ler somente um stand-alone, para variar. Cansada de histórias longas, de livros sem final, de ter sempre que comprar o próximo volume, de ter de esperar (e às vezes desesperar) para poder comprar o próximo volume, finalmente começar a leitura e com desalento constatar que detalhes essenciais para a compreensão deste recente volume se perderam algures na memória desde a leitura do anterior... Outro factor negativo: o aumento exponencial da pilha de livros para ler que representam as sagas: basta ler um, para adicionar três, ou quatro, dez! (ou mais) à lista de desejos. De tudo isto é feito o grito de guerra "estou farto de sagas!" que ocasionalmente se ouve nas redondezas de um bibliófilo, e constitui a razão pela qual as odiamos.

Mas o bibliófilo é feito de contradição, e ficar desesperado por ler o livro seguinte não significa que o livro em mãos não tenha sido viciante. De alguma forma ainda torna o vício pior. Personagens deixadas em suspenso no último capítulo, arcos complexos e densos que necessitam de centenas de páginas para serem explorados, aventuras independentes a cada novo livro. E principalmente, a maravilhosa sensação de termos mais um livro através do qual poderemos acompanhar aquelas personagens queridas e aquela história apaixonante. Mais outro, e outro, e outro. Querer que a história nunca acabe, desejar conseguir prolongar a leitura mas ao mesmo tempo saber que podemos acabar o livro, porque a continuação está à espera na estante. E é por tudo isto que amamos sagas.

Entre sagas lidas e terminadas, incompletas e que quero iniciar (com base no Goodreads que por sua vez está sujeito a falhas de memória da minha parte), efectuei o meu inventário de séries. Se livros fossem considerados bens monetários, era este o momento em que contratava um contabilista. 

Considerei "saga" um conjunto de livros que, quer tenham uma sequência de leitura obrigatória ou não, estão de alguma forma ligados cronologicamente pelos autores. Isso inclui livros prequelas, sequelas e complementos cronologicamente sequenciais, cuja compreensão total da história pressupõe a leitura dos livros anteriores. 
Em nome da minha saúde mental e do tamanho deste post, não incluí short-stories, novelas, contos ou pequenas histórias que frequentemente são publicadas no mesmo universo das sagas, antes, depois ou entre volumes; apenas volumes "a sério"! Pela mesma razão, mas ainda mais importante nos resultados, incluí "sagas que quero mesmo ler, mas não sei quando" (como a série Dark Tower de Stephen King, 7 livros), mas deixei de fora as que "gostava, eventualmente, de ler, mas não sei quando" (como a saga Malazan Book of the Fallen de Steven Erikson, 10 livros) . Percebem a diferença, certo? É tudo uma questão de prioridades e realismo. Igualmente, considerei sagas lidas aquelas em que já li todos os volumes publicados, mesmo que o autor ainda não tenha terminado a série, e seja tecnicamente uma saga a ser lida. Comecei por enumerar e contabilizar as sagas lidas, a ler e ainda por iniciar. De seguida veio a contabilização do número de livros em cada uma das sagas, e do número de páginas de cada livro. Recorrendo a ferramentas básicas e dotes rudimentares, compilei os resultados, e os números finais revelaram-se impressionantes.

Detalhes técnicos finalizados, e com a ressalva de podem surgir alguns erros algures, eis a minha contabilidade de sagas.







       




A minha primeira reacção foi: fiz mal as contas. Como será possível 61 sagas, 246 livros, mais de 100 mil páginas?

Mas não, está correcto. O Excel e o Goodreads não enganam, e qualquer erro pecará por defeito. 

Estes números totais, sendo impressionantes, não são completamente assustadores, se vistos como um todo, certo? Afinal, é uma massa de livros que já li e quero ler, e pilhas de livros para ler e estantes cheias de livros temos todos, certo?

Então comecei a fazer a contabilidade, não apenas como um todo, mas por categorias, e fiquei ainda mais impressionada! Tenho muito mais sagas por ler do que as que já terminei! Este resultado surpreendeu-me imenso. Tinha a sensação que, com todos os livros que li, e com a minha fixação por sagas, já tinha terminado mais do que 13 sagas. O resultado foi desanimador, especialmente comparando a pequena pilha de livros Lidas com as irmãs mais crescidas, A ler e Quero ler.

Provavelmente o meu sentimento enganador de que já li muito mais sagas do que o que realmente li vem do facto de ter imensas ainda em leitura. Uma assustadora quantidade de 28 (!!!) sagas que estou actualmente a ler. Quer tencione continuá-las num futuro próximo ou não, a verdade é que as comecei (sagas que iniciei e não tenciono, de todo, continuar não foram contabilizadas). Quanto às sagas que ainda nem comecei e que quero ler, bastou verificar que o seu número é quase o dobro das que já li até hoje, para me assustar. Como assim só li 13 e quero ler 20? Se em 26 anos de vida só li 13, quanto tenho de viver para ler todas?

Esta linha de raciocínio levou-me à analise seguinte: Tempo. Quanto tempo levarei a ler todas as minhas sagas? Fiz os cálculos em função de duas velocidades de leitura: o meu ritmo de 2012 - 32 livros por ano - e o que pretendo que seja o meu ritmo em 2013 - 40 livros por ano. Seguindo estes valores,  as séries que já iniciei representam uns meros 3 a 4 anos de leitura futura, e mais 2 a 2,5 anos constituem aquelas sagas que ainda nem sequer comecei.

Assumindo que deste momento em diante apenas lerei sagas, que não adiciono mais nenhuma saga à lista, e adoptando o ritmo de leitura mais realista (2012), demorarei seis anos e meio a ler todas as sagas que já iniciei e quero iniciar. Se a este tempo juntar as sagas que já li (assumindo também o ritmo de 2012 para as sagas lidas), terei passado 8 anos e meio da minha vida a ler sagas.

Voltando ao início deste post... Sim, acho que definitivamente estou afogada em sagas. 
Vemo-nos em 2018.


12 comentários:

  1. Eu, neste momento, odeio sagas. Não quero com isto dizer que não leia compulsivamente algumas. Por isso compreendo perfeitamente o teu post.
    Cada vez estou mais farta de sagas que pouco ou nada acrescentam e que cada vez mais me parecem apenas "alimento de vício". Quem segue a saga vai sempre comprar mais um livro, vai sempre querer ter mais um vislumbre daqueles personagens. E quando me começa a parecer demasiado "negócio" começa a irritar-me.
    Mas também acho que há 2 tipos de séries. Há as séries "mais do mesmo", em que vários volumes contam várias histórias com o mesmo fio condutor e há as séries que contam sempre a mesma história (estou a lembrar-me das Crónicas de Gelo e Fogo). Este tipo de séries já me agrada mais (mas depois temos a parte dos livros "às metades" mas essa é outra história).
    Boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É incrível como ficamos relutantes em abandonar uma saga, mesmo que já não nos agrade tanto, não é? :)

      Concordo contigo em relação às sagas episódicas e as que contam uma história única em vários volumes, também gosto mais destas últimas.

      Eliminar
  2. Adorei o teu post :)
    Nunca fiz tal exercício, mas acho boa ideia. Bem, pelo menos como diversão, porque acho que era capaz de me assustar um bocadinho :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :)
      Eu também achei boa ideia no início, mas depois assustei-me xD

      Eliminar
  3. É por isto que não vou contar as sagas que tenho por ler, já vivo com o trauma do número de livros total por ler (e que cresce, cresce e insiste em crescer). *suspiro* Mas também é nestas alturas que não me importava de ir para uma ilha deserta com as estantes atrás...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que o melhor da ilha deserta é que evitava que acrescentássemos mais livros à pilha :P

      Eliminar
  4. Quanto a mim já as apelido de chagas e não de sagas.
    De momento só acompanho uma (ch)saga, " A canção de gelo e fogo" do Martin, e ainda nem li a segunda metade do ultimo volume da versão em português.
    Por cansaço.

    Das "n" (ch)sagas que pululam nos vários mercados, fujo delas como o diabo da cruz, ou se calhar com maior velocidade ainda ( tenho que perguntar ao próprio diabo)!
    Nem quero iniciar a sua leitura.

    Que prazer que é ler um livro com principio, meio e fim e FIM, ao contrário de uma saga "neverendingstory" muitas das vezes com um OH!ESTEFIM!?(Tudo bem que nos vamos divertindo, lá pelo meio!)

    Ao contrário da WhiteLady, eu precisava de uma ilha deserta para "usufruir" de todos os livros nãoch(sagas) que tenho para ler.
    Até porque há quem afirme(possivelmente, quem nunca lá esteve)que nada melhor para quebrar a monotonia de uma ilha deserta,como ter leituras variadas!...:):)

    Óptimo post.

    Ubik

    ResponderEliminar
  5. Felizmente já não sou tão viciada em sagas, e ultimamente so me tenho metido em trilogias, ou seja, sagas mais pequenas eheh.

    força nisso cat! Tu consegues =P

    ResponderEliminar
  6. Uauu!! Adorei este post mas nem me atrevo a fazer tais contagens :D

    E por curiosidade, das 28 que segues já quiseste desistir de alguma saga? Eu já desisti de algumas, acho que quando ultrapassam os dois dígitos já é sinal que estão a arrastar-se demasiado. Eu sou mais de trilogias ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que desistir, desistir, só duas ou três. Apesar de haver várias que não estão nas minhas listas prioritárias nem vão estar nos próximos tempos, mas fica sempre aquele sentimento "qualquer dia" :P

      Eliminar